terça-feira, junho 16, 2015

Tela a Óleo - Retrato

         
Medidas: 90 cm x 70 cm

Tela a Óleo - He is the potter I am the clay

                                  
Medidas: 50 cm x 60 cm

terça-feira, junho 02, 2015

Tela a Óleo - Retrato

                               

Medidas: 70 cm x 50 cm

Tela a Óleo - Life

                                     
Medidas:70 cm x 50 cm

terça-feira, dezembro 16, 2014

quarta-feira, maio 14, 2014

terça-feira, março 25, 2014

Tela a Óleo - À tua espera II

Medidas: 40 cm x 50 cm

Tela a Óleo - À tua espera


Medidas: 40 cm x 50 cm

segunda-feira, março 03, 2014

Tela a Óleo - Pacato dia-a-dia

Medidas: 40 cm x 50 cm

sexta-feira, fevereiro 28, 2014

Exposição de Pintura de Ana Nunes intitulada “Tudo o que temos cá dentro” na Igreja de Santiago, Monsaraz




Exposição de Pintura “Tudo o que temos cá dentro” na vila medieval de Monsaraz

NOTA DE IMPRENSA | Exposição de pintura pode ser apreciada até 4 de maio na Igreja de Santiago

Ana Nunes vai apresentar na vila medieval de Monsaraz a exposição de pintura “Tudo o que temos cá dentro”. A mostra integra o ciclo de exposições Monsaraz Museu Aberto e poderá ser apreciada entre os dias 1 de março e 4 de maio, das 9h30 às 13h e das 14h às 17h30, na Igreja de Santiago.
Ana Nunes dedica-se à pintura a óleo sobre tela. Autodidata, começou a pintar aos 24 anos e decidiu aperfeiçoar a sua técnica, tendo estudado com o Mestre Camol d’Évora.
As suas primeiras telas foram portas e janelas. Posteriormente ruas, cantos, recantos, paisagens e agora com mais enfoque na figura humana. Desde 2004 apresentou os seus trabalhos em mais de meia centena de exposições individuais e coletivas, maioritariamente no Alentejo. No seu currículo destaca os prémios obtidos nos concursos “Pintar Pavia ao Vivo”, em 2008 e 2012.

Lugares
“Entre tanto lugar, há sem dúvida lugares dos quais dificilmente me esqueço, que fazem parte de uma coleção tendencial, onde, de alguma forma, eu estou, fico, usufruo e me identifico. Pela sua simplicidade, pelas cores e pelo contexto do diálogo que estabeleço com eles.
Em qualquer destes lugares podemos ficar, não existe condição de fugacidade. Todos têm uma identidade, todos são habitáveis.
Vejo, sem nunca rever de igual forma, permitindo-me assim construir imagens, como se de um retrato se tratasse.
Em vários momentos deparo-me com o mais simples e belo, onde o tempo é amigo e parece parar para que aquele lugar me pertença mesmo que por breves instantes.
Por vezes, não chego a ter tempo para tantos lugares.”
Ana Nunes




Gabinete de Comunicação e Imagem
Carlos Manuel Barão
Tel: 266 508 048
imprensa@cm-reguengos-monsaraz.pt
 

terça-feira, fevereiro 25, 2014

Amieira Marina entrevista Ana Nunes



AMIEIRA MARINA ENTREVISTA ANA NUNES, A AUTORA DA NOSSA MAIS RECENTE EXPOSIÇÃO DE PINTURA Ana Nunes é uma uma artista plástica portuguesa com um percurso pela Pintura com cerca de 10 anos, onde se destacam diversas exposições a nível individual e colectivo. As suas obras estão nacional e internacionalmente representadas.
Actualmente, a artista tem em exibição no Restaurante Panorâmico da Amieira Marina, a exposição “Gente da minha terra ”, a qual poderá ser visitada até ao final do mês de Junho.
Falámos com a Ana Nunes para descobrir o que a move neste tumultuoso mundo que é o das artes, e gostámos do que ouvimos!
Em que é que consiste exactamente o seu trabalho? Pode falar-nos um pouco sobre os temas que aborda?
Dedico-me à pintura a óleo sobre tela. Comecei a pintar na condição de autodidacta e foi aos 24 anos que decidi aperfeiçoar a técnica. Estudei pintura com o Mestre Camol´de Évora.
Iniciei por pintar portas e janelas. A minha primeira tela foi uma porta que guardo religiosamente. Posteriormente ruas, cantos, recantos, paisagens e agora com mais destaque a figura humana. Pinto através de fotografia muitas das vezes por mim tiradas.
Como se descreveria enquanto artista? 
Tenho uma enorme dificuldade em me definir enquanto artista, no meu entender o artista deixa-se transparecer pelos seus trabalhos e a análise desses trabalhos não serei eu a fazê-la (risos). Uma coisa que posso dizer com agrado é que quando vêem o meu trabalho o identificam como meu. Isso é muito positivo para um artista.
O que tenta transmitir com as suas obras?
Tento captar a alma. Transmitir um efeito de realismo que quando olhamos para a obra nos prenda e nos deixe levar pelo sentimento.
 
Pode descrever-nos um pouco o seu processo criativo?
Infelizmente por um lado e felizmente por outro, recebo algumas encomendas de telas especificas, com responsabilidade ao original, como retratos, e isso deixa-me limitada no tempo de me dedicar a um processo criativo. No entanto, quando me disponibilizam para a execução de uma exposição, trabalho de corpo e alma para ela. Primeiramente o discorrer de um tema e depois disso criar para ele. Gosto de intitular as exposições de forma a terem algum impacto, que cative o visitante a inteirar-se da exposição. O meu trabalho surge especialmente da minha maneira de ser e estar, dos meus interesses e gostos, da minha sensibilidade para alguns temas que normalmente não são expostos em tela.
Acha que para um artista plástico, é essencial ter estudos na área das artes?
Penso que uma instituição de ensino coloque à disposição as ferramentas e técnicas e providencie o gosto pela criação artística. Contudo, não ensina paixão. Dá-se em alguns casos, a falta de recursos materiais por parte dessa mesma instituição ou o valor exorbitante de alguns materiais que pode relativizar o processo criativo do artista. A nossa identidade enquanto artista passa pela forma como observamos as coisas, da sensibilidade, na capacidade de comunicar sem palavras e este alcance vem com a experiência e esta é independente da vida académica.
Já expôs, individual e colectivamente, em diversos locais por todo o país. Lembra-se da sua primeira exposição? Como surgiu a oportunidade? Tem sido fácil encontrar locais onde expor?
Lembro-me da minha primeira exposição individual, foi na galeria do Palácio das Cinco Quinas, Palácio dos Duques de Cadaval, em Évora. A oportunidade surgiu naturalmente, era um espaço de exposições regulares, senti necessidade de expor o meu trabalho individualmente e foi agendada a exposição.
Não tenho sentido qualquer dificuldade em expor o meu trabalho, até porque normalmente é-me feito o convite. 
Quais são os seus próximos trabalhos?
Sem querer aprofundar muito, tenho 7 retratos de ex-presidentes de uma prestigiada associação com sede em Lisboa. Duas exposições agendadas sendo a mais próxima na Igreja de Santiago em Monsaraz a decorrer durante o mês de Março e Abril.
Quais os eventos em que até agora participou e destaca de maior relevância para a promoção e divulgação do seu trabalho?
 Não posso negar que expor na Amieira Marina me deu uma certa notoriedade. Tem corrido muito bem a exposição e divulgou um pouco mais o meu trabalho.  Estou muito grata.
Tem encontrado algum problema ou entrave no exercício da sua arte?
A pintura para mim é um hobby que me completa como pessoa e financeiramente vai dando para o material utilizado e algumas necessidades pessoais e familiares. Neste momento não é e não sei se algum dia será possível viver da arte, mas não deixo de sonhar com isso. Não é nada fácil enveredar unicamente numa vida artística quando se tem responsabilidades no final de todos os meses.
Talvez o único entrave que se coloque será a falta de tempo, daí fazer do carro atelier ou ter de me deslocar da cidade e sempre com as tintas atrás. São muitos serões, fins de semana de 16 horas e mais a pintar, dias de férias sem descanso, etc.
 
Tem uma obra ou artista plástico que admire?
Admiro muito a pintora e pintura de Paula Rego. Realço a figura humana por ela retratada, principalmente como pinta a mulher transparecendo a sua robustez e força por vezes escondida.
Quando não está a trabalhar e a pintar, como gosta de passar o seu tempo?
Gosto de estar em família, dedicar-me ao meu filho, cuidar da casa e do quintal, ir ao ginásio, viajar, uma vida normal...
 
 
Muito Obrigada Ana, pela sua disponibilidade.
Vera Fernandes

segunda-feira, fevereiro 24, 2014

Quadro a Óleo - Grand Ecart


Medidas: 50 cm x 70 cm

quarta-feira, fevereiro 19, 2014

Quadro a Óleo - Retrato

Medidas: 50 cm x 60 cm

Quadro a Óleo - Retrato

Medidas: 40 cm x 50 cm

sexta-feira, fevereiro 14, 2014

domingo, fevereiro 02, 2014

Quadro a Óleo - Nossa Senhora


Medidas: 100 cm x 70 cm

sexta-feira, janeiro 31, 2014

Quadro a Óleo - Retrato

Medidas: 30 cm x 40 cm

segunda-feira, janeiro 27, 2014

Quadro a Óleo - Sensuality II

Medidas: 50 cm x 70 cm